sexta-feira, 16 de novembro de 2012

QUEM É PAULO MENDONÇA

________________________________________________________


Quem é Paulo de Freitas Mendonça?
É Pajador, poeta, compositor, radialista, apresentador, jornalista formado pela Unisinos e diretor do Jornal do Nativismo.
Publicou dois livros de poemas, Nativismo e Alma e Canto de Pampa e Paz. Possui textos poéticos e de pesquisa em obras no Brasil e no exterior: Gracias Cri Cri (México), Te amo Payador (Uruguai), Na Ponta do Verso – Poesia de Improviso do Brasil (Rio de Janeiro), Poetas Brasileiros de Hoje (Rio de Janeiro), Autores Brasileiros de Hoje (Rio de Janeiro), Antologia das Cidades Brasileiras (Rio de Janeiro), Ronda do Carijo (Porto Alegre), Ronda da Tradição (Porto Alegre), Aparte da Estância da Poesia Crioula (Porto Alegre), Poesias do Rodeio (Vacaria), Coletânea da Poesia Gaúcha (Porto Alegre), Antologia da Casa do Poeta de São Pedro do Sul (2008, 2009 e 2010), Poesia em Prosa e Poema (Porto Alegre), entre outros.
Possui cinco CDs de pajadas lançados: Pajadas e Poesias, Pajadores Sem Fronteiras, Pajadores do Brasil, Pajadores de Três Pátrias, Tributo a Jayme Caetano Braun. Está lançando o livro com CD anexo, ambos em português e espanhol, denominado Pajador do Brasil - Estudo Sobre a Poesia Oral Improvisada.
Realiza participações especiais em discos de Antônio Tarragó Ros, Juan Alberto Lalanne e Emanuel Gabotto (Argentina), Fernando Hernandez Mor e José Curbelo (Uruguai), Cantos de La Pátria Grande (Brasil e Uruguai), Os Mateadores, Jadir Oliveira, Alma de Campo, (Brasil).
Tem realizado palestras sobre poesia oral improvisada em diversos países, a exemplo da Universidade Federal de Caracas - Venezuela, Universidade Federal de Buenos Aires - Argentina, Faculdade de Letras da Universidade Federal de São Paulo, Ipa – Porto Alegre, Biblioteca Nacional do Uruguai – Montevideu, Biblioteca Municipal de Nueve de Julio – Argentina, Centro de Eventos de Villanueva de Tápia – Espanha, UNISINOS – São Leopoldo, Faculdade de Tecnologia – Bento Gonçalves, Feira do Livro de Porto Alegre, Feira do Livro de Bento Gonçalves, Feira do Livro de São Pedro do Sul, Casa do Poeta Santamariense – Santa Maria, Porto Poesia – Porto Alegre, MTG – Porto Alegre, Congresso Estadual de Professores – Viamão, entre outros locais expressivos.

Na condição de pajador tem representado o Brasil em importantes eventos internacionais: Semana Criolla del Prado – Montevidéu (10 anos consecutivos), Encuentro de Payadores Uruguayos - Montevideu (06 anos consecutivos), Festival Internacional de Cante Poetas – Villanueva de Tápia – Espanha, Festa de São Carlos - Angra do Heroismo – Açores – Portugal, Encuentro Internacional de Payadores de Casablanca – Chile, Fiesta Nacional de la Guitarra – Dolores – Argentina, Encuentro Internacional de la Décima y de la Poeisa Oral Improvisada – Caracas - Venezuela, Encuentro Internacional de la Décima y poesia Improvisada - Tandil – Argentina, 29º Encuentro Nacional Santosvegano de Payadores – San Clemente de Tuyu – Argentina, Encuentro de Payadores en la Fiera de Mataderos – Buenos Aires – Argentina, Encuentro Intenacional de Payadores de San José – Uruguai, Encuentro Internacional de Nueva Helvecia – Uruguai, Festival Internacional de Contrapunto – Trinidad – Uruguai, Juglares del Mundo – Porto Alegre e São Paulo no Brasil, Nueve de Julio, Chascomus e Saladillo, na Argentina e Vicar na Espanha, Centenário de Nascimento de Atahualpa Yupanqui – Biblioteca Nacional de Buenos Aires – Argentina, Encuentro Internacional de Payadores – Tres Arroyos – Argentina, Encuentro Internacional de Payadores – Benito Juarez – Argentina, Festival Intenacional de Contrapuntos – Montevidéu – Uruguai, Rota da Pajada – Porto Rico, Uruguai, Argentina e Brasil, além de outros tantos no seu país.

Já improvisou com brasileiros, argentinos, uruguaios, chilenos, espanhóis, porto-riquenhos, panamenhos, mexicanos, canários, cubanos, italianos, norte-americanos, venezuelanos, galegos, bascos e açorianos, entre outros.

É Membro da Estância da Poesia Crioula, da Casa do poeta de São pedro do Sul, representante brasileiro no Comitê Internacional da Poesia Oral Improvisada (com sede em Cuba), idealizador e primeiro presidente da APADEG – Associação dos Pajadores e Declamadores Gaúchos, participou do Ronda – Grupo de Estudos da Cultura Gaúcha e foi secretário da Associação de Trovadores Luiz Muller, da qual é sócio honorário.

É homenageado em vida pela Pajada Gaúcha da Feitoria, em São Leopoldo, com o Troféu Paulo de Freitas Mendonça, para o primeiro lugar do festival.
Foi distinguido pela União Brasileira de Trovadores com a medalha Jayme Caetano Braun, pela Casa do Poeta Rio-grandense com a Medalha Jayme Caetano Braun, pelo Piquete 38 da Polícia Federal com o Troféu 15 anos, pela Apadeg com a Medalha Aureliano de Figueiredo Pinto, pela Associação Estampa y Memórias da Argentina com o Troféu “Condor de Fuego” (único brasileiro homenageado em todos os tempos), pela municipalidade de Sapucaia do Sul, no dia do repentismo, pela Comissão Gaúcha e Comissão Nacional do Folclore como “Amigo do Folclore”, pela Assembleia Legislativa como Pajador do Ano de 2010.
Possui obras de sua autoria premiadas em importantes festivais como Califórnia, Grito do Nativismo, Coxilha,Reonte, Festival da Música Crioula de Santiago, Chamamento do Pampa, Ronco do Bugio, Guyanuba e Cirio, entre outros.
Assina autorias em discos de José Claúdio Machado, Wilson Paim, Délcio Tavares, Cristiano Quevedo, Os Araganos, Cheiro de Galpão, Alma de Campo, Sul Tchê, Cantos de La Pátria Grande, Valther Moraes, João Luiz Corrêa, Antonio Tarragó Ros, José Curbelo, Juan Alberto Lalanne, Emanuel Gabotto, Fernando Hernandez Mor, Querência, os Mateadores, entre outros.

Possui expressiva atução como radialista: Atuou na Rádio Liberdade FM, Rádio Gaúcha AM, Rádio Rural AM, entre outras emissoras em diversos estados brasileiros.
Como mestre de cerimônias tem apresentado os mais importantes festivais do Rio Grande do Sul, além de eventos na Argentina, a exemplo do Festival Internacional do Chamamé, de Corrientes.
Paulo de Freitas Mendonça é um integrador da cultura sem fronteiras, participa de um grupo de pesquisadores da poesia oral improvisada de quinze países e procura sempre aproximar os pajadores gaúchos dos improvisadores das demais nações onde o verso improvisado é vigente.
Seu conceito internacional transcende as margens do gauchismo como definem alguns depoimentos sobre ele em seu livro Pajador do Brasil - Estudo Sobre a Poesia Oral Improvisada.

Aqui procurei mostrar um pouco de Paulo de Freitas Mendonça, o batalhador que colocou a pajada em evidencia, devido ao seu esforço pessoal, hoje temos muitos concursos de pajada, e até mesmo a pajada inserida nos concursos oficiais do MTG, exemplo o ENART em Santa Cruz do Sul, que está ocorrendo neste final de semana, obrigado Mendonça! Inté fui...